A história dos Consoles está repleta de projetos curiosos e fracassos, para cada Nintendo, Playstation e Xbox bem sucedido, há uma divisão de consoles bizarros, curiosos e desconhecidos. Na lista que a ZoomTech preparou, há alguns exemplos desses fracassos que hoje são peças raras colecionáveis.

Action Max

Essa bizarra ideia de 1987 tinha apenas uma pistola como controle e rodava jogos armazenados em fitas VHS. Os jogos eram, na verdade, filmagens de alvos que o jogador precisava acertar com a pistola.

O sistema usava sensores infravermelhos para identificar os tiros do jogador e consistia de um videocassete para funcionar. O Action Max foi uma catástrofe comercial com a impressionante marca de apenas cinco jogos lançados.

Vectrex

O Vectrex foi uma experiência bizarra de 1982. O console exibia gráficos vetoriais, as imagens formadas na tela eram feitas de linhas retas. Não havia cor e nenhum preenchimento nos gráficos.

Outro elemento de bizarrice do console era o fato dele vir acompanhado pela tela limitada em preto e branco, em formato vertical. Para simular cor e mais elementos nos jogos, os usufruidores do console deviam colocar uma tela plástica no monitor. Único Ponto positivo eram os controles, que utilizavam analógicos dando assim os primeiros passos dos comandos analógicos que é utilizado atualmente.

XaviXPORT

Com o nome um bizarro, esse console obscuro, lançado em 2004 era apoiado pela ideia de controles por movimento e em jogos esportivos casuais, exatamente como o Nintendo Wii, lançado dois anos depois.

O console tinha tudo pra dar certo o problema e que cada jogo do XaviXPorT tinha seu próprio controle, como raquetes para tênis, luvas para box, taco para base ball e etc. Assim como o Wii, ele identificava os movimentos reais do jogador como forma de interação com os jogos. Sem o poder de promoção da Nintendo, acabou ficando pra trás e falhando em chamar a atenção dos consumidores que acabariam encantados pela interação promovida pelo Nintendo Wii.

Pioneer Laseractive

Em 1993, a Pioneer lançou um console para rodar games criados em Laserdisc, formato concorrente do DVD, que era maior fisicamente, mas gravava quantidades bem menores de dados.

Foram poucos jogos lançados, qualidade e desempenho eram horríveis e o preço era muito alto pra época. Outros pontos negativos foram os Laserdiscs, na época já era um formato desfalecido, e os acessórios caros, como dois complementos que permitiam ao console da Pioneer rodar games do Mega Drive por US$ 600.

Basicamente, a Pioneer pretendia que o consumidor pagasse uma quantia alta para rodar jogos de um console que podia ser adquirido por um preço mais baixo.

MattelHyperscan

A Mattel uma das gigantes do ramo de brinquedos decidiu criar seu console em 2006. O Hyperscan foi pensado como um produto para crianças novas. O bizarro é que o Hyperscan usava cartões especiais, que eram escanceados pelo console para serem jogados na tela.

Com o nome “hyper”, a ideia de console para crianças e o próprio design do aparelho não seriam tão ruins se o produto tivesse aparecido na década de 90. O mas curioso nisso tudo é que a Mattel lançou o Hyperscan, no ano de lançamento do Playstation 3 e Xbox 360.

Comente este post